Há porcos no Alentejo!

O Tiago Lemos, para mal dos porcos, nem de férias está sossegado.
Apanhou um bichorro valente e aqui fica o seu relato. Parabéns Tiago.
Está junto com os outros e aqui também.

Ver relato->
About these ads
Esta entrada foi publicada em Relatos Esperas com as etiquetas , , . ligação permanente.

46 respostas a Há porcos no Alentejo!

  1. AC diz:

    Grandes talibãs! :)
    Discutir é bom mas experimentar é preciso!
    Embora a ciência dos dias de hoje tenha avançado em relação aos séc XV e XVI, afinal “o saber de experiência feito” (muito empírico) continua a ser a bússola de muitos navegadores, até no mato. :)
    Eu sinto-me tentado a confiar na “experiência como a mãe da sabedoria” mas nem o empirismo nem a ciência dos dias de hoje está isenta de erros. De facto isto está tudo sujeito a revisão contínua.
    Ao ler um livro antigo (sobre Ishi o ultimo índio Yana) deparei com a seguinte afirmação: as pontas de caça da idade da pedra (sílex ou obsidiana) com aquele conhecido serrilhado, cortam melhor do que as ponta de aço – claro que, por oposição, a resistência destas últimas, não se compara. Não sei se o autor, hoje, manteria a afirmação ou se simplesmente sugeriria que as ponta de aço fossem serrilhadas, como muitas facas. Certo é que ainda há muito caçador a comprar e caçar com as caríssimas pontas de sílex … Serão meros amantes do antigo, do difícil e da auto-afirmação ou sabem, por experiência, que essas pontas funcionam bem!
    O aço rico em carbono é acessível, fácil de afiar e manter, resistente e produz resultados consistentes. Com obsidiana ou vidro é possível ter fio muito mais fino ou afiado mas já se sabe …
    Ishi fazia demonstrações de criação de pontas a partir de garrafas…

    É preciso experimentar e treinar! Não descanso enquanto não tiver sucesso e para isso, os treinos nocturnos, in loco, com javali da McKenzie, vão começar!
    Meeeeedo, tenham muito meeeedo!

    • Paulo Vilela diz:

      http://www.archerytalk.com/vb/showthread.php?p=1055827114

      Vejam este link penso que seja o mais elustrativo da capacidade das atom

      Abraçao

      • Paulo Vilela diz:

        Entao ninguem diz nada do teste do link?

      • JF diz:

        Logo à noite já vejo e comento!
        Abraço

      • AC diz:

        Isso requer login. Não há pachorra!

      • Tiago Lemos diz:

        É um teste fraquito,aliás mal era se as pontas não conseguissem perfurar e cortar aquele porco.

      • Archeroliveira diz:

        Hehehe essas pontas nem merecem o login hehe.

      • Paulo Vilela diz:

        Bem so se for nos vossos computadores no meu nao preciso nada disso.

        Tiago o porco tem ha volta de 30 kilitos mas a palca de foam por detras deste e das normais e ve bem o que sai por detras delas.

      • 1gcabp diz:

        Atravessar, atravessaram. A sensação com que fiquei é que mesmo com um trespasse o rastro de sangue poderá não ser grande se não houver corte de alguma artéria. Como o bicho já estava finado há algum tempo não dá para ver, mas foi um corte limpo. Têm que ser usadas em situação de caça real para se tirarem conclusões.
        Abraço.

      • Archeroliveira diz:

        Mais conclusões!!!!!! Depois chamam enguiço ou falta de sorte hehe.
        Eu costumo dizer, as possibilidades de ter um porco são muito poucas, este se dar a tiro ainda desce mais a equação e abrir o arco sem fazer ruídos ainda mais desce a equação de êxito e se vamos estar a fazer testes no monte em situação de caça, ai é que estamos a colocar a equação no patamar mínimo.
        O MONTE NÃO É PARA ANDAR A FAZER TESTES os testas são feitos nos bastidores com uma ou outra artimanha, para quando se chagar ao momento da verdade estar tudo no ponto e se correr mal o erro foi nosso e não do material.

      • AC diz:

        OK, já vi: usando o sacrossanto IExplorer da MS não é preciso login para ver muitas das fotos.
        A primeira vez que vi essas pontas foi neste video da girafa http://www.youtube.com/watch?v=wu6ICFe6PBY
        Parece tudo muito lindo, cortar carne, passar osso… a publicidade é esmagora “the best” “the lethal engineering” mas no terreno é que se vêem as eventuais falhas do desenho…
        Dizeis que aqueles arames se engasgam com as cerdas! não sois os primeiros! mas eu não sei pq nunca vi! No filme sai tudo perfeito! :)
        Talvez esses javalis aí de baixo usem carapinha entrançada com lama o que dificulta a penetração… sugiro portanto vaselina aplicada numa tradicional ponta de dois gumes, sólida e generosa. Em caso de duvidas existenciais ou superstições, regressem a elas… bem afiadas na pedra! :)

        Ou então toca a experimentar as inovações/novidades:
        A publicidade da atom é brutal (são os mesmo da guillotine)

        (corte=velocidade+pressao+gume he he equaçao manhosa, gostava de entrar em detalhes)
        mas tb me diverti com esta:

        (250% maior ferida de saída, ok mas considerando que terá maior atrito é preciso que saia! um aparato daqueles com 6 laminas numa omoplata, não sei …)

        Os testes em gel balístico (feitos para vender o peixe) são interessantes, vejam um pormenor deste, em que as laminas dobram e ficam emaranhadas com o pelo:

        E outros:

        Não encontrei testes deste tipo com as atom.
        Muitas ideias giras e muitas delas não vingarão mas enquanto a moda dura por vezes iludimo-nos, vamos na onda e gastamos o dinheiro :)
        Estes vídeos das pontas de caça fazem lembrar qq outro de publicidade a máquinas de abdominais, a última é sempre a melhor, com a ciencia por trás, demonstrações à medida e tra lá lá e depois vai-se a ver é mais uma pro caixote e voltamos basicamente às receitas da avó.
        Divirtam-se!

      • JF diz:

        António

        Só depois de se cobrar o primeiro animal, seja com que ponta for, é que deixa de ser teste. Até lá não podemos ter a certeza de nada, e o que nos levou a comprá-la foi só a publicidade – da marca ou dos amigos… ;-)

      • Tiago Lemos diz:

        As pontas de caça que utilizo já foram mais que testadas no campo e sempre com optimos resultados, logo não vejo motivos para “emprenhar pelas orelhas” e ir a correr trocar por outras marcas ou modelos só porque são giras.

        Paulo estou a torcer, para que tenhas o mais rapidamente chance de atirar a um porco, e das duas uma, ou esqueces de vez essas pontas caça, ou se tiveres exito,tens de fazer um granda churrasco para o pessoal:)

      • JF diz:

        Tiago:
        Na “mouche”. Falou, tá falado. Ficamos à espera do churrasco, então se for grelhado pelo Paulo António fica uma maravilha.
        E cá para mim, o Paulo Vilela também está a torcer por ele. :-) :-)

      • Archeroliveira diz:

        Eu por mero acaso conheço umas pessoas do meu foro pessoal que receberam essas pontas de GRAÇA para caçarem com elas e não o fizeram, só de observar as pontas e conhecendo a fisionomia dos animais e o comportamento das pontas nos seus corpos, pois já viram Kilometros de pontas muito mais resistentes a saírem todas torcidas.
        Mas boa sorte para o churrasco.

    • Paulo Vilela diz:

      AC falaste nas pontas mas fala tambem no resto cordas arcos hastes das flechas e suas penas.
      Eu conheço bem a historia do Ishi(uma tragedia diga-se) e utilizo algumas das suas tecnicas para caçar(quem me acompanha sabe pois ja o repeti varias vezes) e so posso dizer que resultam em 100%

  2. Paulo Vilela diz:

    AC mas eu tinha todas as possibilidades a meu favor,tenho um javali a volta de 100kl a 18 mts de mim com o vento que me e favoravel ,tenho-o a comer o que abafa qualquer ruido a meu favor agora o que nao tive foi a sorte(o que queiram chamar-lhe) como dizes.

    Antonio como te disse nao acho que o teste seja o indicado seja para que ponta for,nem mecanica nem de laminas fixas quanto a mim nao prova nada.
    As atom tiveram agora o seu primeiro teste que nao nos levou a concluir……. nada exepto que o animal fugiu com a flecha que o varou.
    Quanto ao que dizes e verdade nao deve ter sido na zona da chavena de cafe,mas que prova isso???????????apenas uma coisa que nao foi no sitio ,agora de quem e a culpa da ponta???do arco???da flecha ???das penas???tudo o que for dito e especulaçao tao e somente.

    Eu nao acredito em todas as americanices mas tenho os meus autores de referencia(Randy Ulmer,Larry Wise e Bill Winke) que sao quer atiradores quer caçadores consagrados por la que e outro mundo como sabemos.

    Quanto ao que muitos dizem as opinioes tambem divergem,e nao te deves preocupar em dar conselhos a vida ja tem preocupaçoes que cheguem LLLOOLL

    Nao cobrar animais a mim tambem sempre me chateou e concerteza que nao de preposito que eles acontecem.

    Agora repara bem o que dizes: que nao estas a falar das rage pois ja houve um amigo teu que matou um belo porco com elas,passaram de bestas a bestiais???quer dizer se eu tivesse morto o javali com as atom ja eram estupendas????????sejamos coerentes so depois de ver o animal onde lhe acertei etc e que posso tecer consideraçoes sobre as mesmas.

    Olha no caso da Agolada com o JF deixou duas piscinas de sangue que mais pareciam um filme de terror e foi-se…….agora ja o firam a coxear e pensa-se que sera aquele.
    Se visses o sangue que vi dificilmente acreditarias que era numa pata.
    Tens o caso do Paulo Duram que matou uma porca com um tiro numa pela pata e ela morreu rapidamente,depois de a arranjarem viram que lhe tinha cortado a femural,por causa disso o tiro na pata passa a ser correto? ou o merito e da ponta?

    • Archeroliveira diz:

      Paulo ou não percebes nada de metal ou aços ou não queres ver o que é óbvio uns araminhos não foram feitos para ,matar javalis.
      Quanto as Rage não passaram de bestas a bestiais no meu ver, tanto que o animal ainda andou uns bons 100m, eu também tenho uma Rage e pelo que o meu grupo de caçadores experientes são boas para animais até os seus 70kg mais que isso pode ser uma incógnita.
      Paulo eu troco uma Tunderhed 100gr por uma Aton que é para te poder calar, os testes que pretendo fazer são: peso necessário para entrar a ponta em tira de cabedal, depois o peso que é necessário para as laminas cortarem, tiro em tira de cabedal e se a ponta sobreviver tiro em placa de contraplacado de 5mm.
      Aceitas o desafio.

    • Archeroliveira diz:

      Sim Paulo é um mundo em que ate drogam os animais para eles os poderem abater é um lindo mundo.
      Eu tenho um troféu mundial numa quinta e falo com a marca x-p-t-o para trazerem o caçador especial-1, eles pagam um balurdio para poderem abater aquele animal, com aquele material, com aquela caçador, o que eu faço, meto o animal a dormis e muitas vezes com o conhecimento da marca e do caçador se é que lhe podemos chamar isso, é que eu tenho o interesse que o animal seja abatido para receber a massa.
      É este mundo que te anda a ensinar, o terreno é o nosso melhor aliado e muito mais as passagens de amigos que nos querem o bem e não vender.

    • Archeroliveira diz:

      A mim me levou a concluir muito este primeiro teste as Aton, mas fica para mim pois parece que o que digo é o mesmo que DAR PEROLAS A PORCOS.
      Um abraço.

      • Paulo Vilela diz:

        Antonio eu nao sei se percebo muito de aços pois o que para uns e muito para outros e pouco por isso sei o que sei so isso.

        O animal que o teu amigo antingiu andou 100 mts e?o que prova isso??onde lhe acertou?? quanto estrago fez??outras fariam mais? ou menos?
        Ate hoje vi dois (mais concretamente um)animais atingidos por rage de 3 laminas,um o javali do JF que se foi embora nao sei como(pensa-se que tenha sido na pata mas sem captura do mesmo nao ha prova) e outro um que o Helder matou que andou 20 mts e nao deixou rasto praticamente nenhum.

        Comigo nao trocas de certeza absoluta pois nao estao disponiveis nem para trocar nem para vender foram prenda do meu filho e como tal fora de questao.
        Mas desde ja te digo que continuas a ver mal o seu (das atom) principio de funcionalento.
        O seu principio e o mesmo dos novo corta relva de fio a velocidade e que faz os fios cortarem tao somente.

        Quanto ao que dizes nao e so na America que o fazem a febre do trofeu levou isso ao extremo seja em que continente for(Africa que ocorre a miude e agora na Europa muito em voga com javalis criados em currais) portanto a mim nao estas a dar novidade nenhuma e que ja acompanho o mundo da caça ha uns anotes.

        Se tomas como teste de uma ponta um animal que nao foi cobrado em que obviamente nao podemos avaliar nada(nem o local de impacto nem penetraçao nem corte de tecidos)fraca e a tua noçao de avaliaçao a meu ver.

        Vou levar a tua forte adjetivaçao de uma forma cortes ou seja vou levar a tua metafora para o enviar as atom aos javalis pois acredito que tenha sido isso que queiras dizer.

        Abraço

      • Archeroliveira diz:

        Paulo desculpa mas as tuas respostas só me levam a uma conclusão e sendo assim só tenho um remédio pedir a alguém que tenha uma ponta dessas de brincar que possa dispensar ou vender para eu poder fazer os testes só preciso de uma, não estou é disposto a comprar um pac para por no lixo e quanto as tuas coloca na prateleira que foram uma prenda que é para não estragar as pontas e os animais, que é o melhor que fazes, usa as Rage que são bem melhores que essas.
        Agora vou te responder ao corta relva, a mim dizes que uma placa de madeira ou cabedal não prova nada e a ti uma erva que é mole prova tudo não te percebo pura e simplesmente. Eu até com um pau corto relva a cacetada.
        Quanto a adjectivação o que quis dizer foi mesmo: um gajo diz as coisas, prova e explica por a+b com passagem e experiências vividas como as coisas são e funcionam e mesmo assim não querem ver ou ainda pior admitir que alguma coisa não está bem.
        Dai o provérbio, É O MESMO QUE DAR PEROLAS A PORCOS, pois estes querem lá saber que são pérolas, vão as comer na mesma em vez de lhe darem o devido valor.
        Atenção que não estou a chamar porco a ninguém.
        Nem sei porque chego do trabalho ás 4 da manha e em vez de ir dormir estou a perder tempo a dar conselhos para quem não os aceita, mas fica a esperança que alguém que esteja a aprender os leia e possivelmente ponha em pratica e que tenha resultados práticos.
        O que vale é que há dois teimosos para isto ter um pouco de movimento, claro que um é bem mais dogmatico.
        Um abraço.

    • Tiago Lemos diz:

      Tenho o prazer de privar com grandes atiradores, tanto com arco como com besta, mas penso que o que está a faltar ao pessoal é uma Jornada Intensiva de Treino Tiro Nocturno.
      Existem grandes diferenças entre atirar de Dia Vs Noite, Sentado Vs de Pé ( muitas das vezes mal sentado e com o corpo dormente).
      Esses factores aliados aos nervos próprios do momento levam muitas vezes á ocorrência de disparos menos bons, com todas as consequências que daí advêm.
      Não se deve atribuir sempre as culpas dos falhanços ao material, pois o factor Humano é sem sombra de dúvida o mais importante e aquele que mais vezes falha em momentos cruciais.
      Para mim este blog é um local onde podemos e devemos partilhar opiniões e experiências, respeitando sempre a opinião do próximo, pois cada cabeça sua sentença.
      Não nos devemos esquecer dos caçadores menos experientes ou aqueles que se querem iniciar nesta bonita e nobre forma de caçar, e que aqui podem vir “beber informação”.
      O constante empolgar e arrastar das divergências pessoais não é saudável e na minha modesta opinião tambem não é o caminho a seguir.
      A todos um forte abraço e votos de boas caçadas

      • JF diz:

        Bom dia Tiago

        200 por cento de acordo.
        Quanto às sessões de tiro nocturno já tinha comentado o mesmo. Uma coisa é uma carreira de tiro, nem que seja no meio do mato, outra é um palanque ou mesmo um aguardo no chão com uma visibilidade que pode nem sempre ser a melhor, uns “quilos” valentes de adrenalina e a necessidade de nos termos mantido imóveis durante algum tempo – logo músculos frios, armar o arco aos sacões, etc.. A acrescentar a tudo isto fazer com que o único tiro que damos seja “o tiro”, porque como diz o Adamo só em alguns casos é que o milho provoca surdez.

        Abraço

      • Paulo Vilela diz:

        Antonio grato pelo concelho mas tenciono usa-las nao as acho pior nem melhor ,teem coisas melhores(em principio mais penetraçao pois os arames deformam-se quando encontram a resistencia de ossos) mas menos corte que as rage (que “cortam mais”mas quando encontram ossos nao recolhem e ao corta-los perdem energia).
        Repara ate a pouco as rage nao valiam nada mas como o teu amigo cobrou o porco ja sao “bem melhores” que as atom(que teem como defeito eu nao ter cobrado o javali(que e um facto mas nao prova nada ja que nao ha provas de se estragou muito ou pouco).

        Falei no corta relva para que percebas isso mesmo elas teem um efeito de corte de tecidos e nao de cortar ossos( o que os americanos chamam de diferença entre slicing e chopping).
        Cortar a relva com um pau tu cortas mas fica cortada certinha como se tivesse sido com um bisturi?com o fio fica( e nao esquecer que um vaso cortado limpamente sangra bem mais que um que seja “serrado” por factores fisiologicos conhecidos).

        Antonio tu nao provas nada ,tu falas em testes com materiais diferentes dos materiais para que foram concebidas as coisas(no caso as pontas atom e as outras diga-se).
        Eu nao e nao querer ver, tu e que queres ver as coisas como achas e nao como elas sao.

        Antonio es como eu tambem gostas de uma boa discussaozita LLLLOOOLLL e mais forte que nos LLLLOOLLLL

        Cada um que tire as suas conclusoes,eu sem provas em bichos nao teço consideraçoes.

        Tiago da discussao nasce a “luz” aqui ninguem se chateia por isso apenas temos opinioes diferentes o que e salutar.
        Quem se inicia nisto daqui pode tirar algumas opinioes e tao somente como em tudo e tipo a garafa do Chivas para uns esta meia cheia para outros meia fazia.

      • Archeroliveira diz:

        Chivas onde está e se for a esfolar um porquito melhor ainda vamos aos porcos que a lua se aproxima.
        Mas como eu gostava de fazer o teste a essas pontas, mas arames que se deformam não mais voltam a fazer o mesmo efeito que uma lamina que nos dá a certeza que vai a cumprir o seu trabalho. O tempo costuma ser o melhor aliado já uma vez o disse aqui e chegamos os dois a mesma conclusão hehe.
        As Rage voltaram a fazer estragos num porco de 50Kg foi aquele tiro esquisito que tanto idolatras de traz para a frente andou uns 70m largou as tripas quase todas pela entrada e a ponta ainda saio no peito ao pé da pata.
        As Rage matam mas é assim eu não digo que este ou aquele equipamento não mata, pode é ir morrer longe e não recuperar o animal, eu tenho alguns testes para pontas sendo o primeiro visual, sendo que este se não me agradar descarto a ponta e tenho os seguintes factores, aparência da resistência do material, fisionomia das pontas, se fazem a barba de fabrica ou é necessário estar a dar gume, regra 3 para 1.
        Em segundo as experiências de camaradas e opiniões e por ultimo se tiver passado no primeiro teste e reprovado no segundo tenho que passar para testes mais radicais com a finalidade de descobrir uma possível fraqueza que me tenha passado, teste do cabedal e placa de madeira como disse o teste do bidon é muito radical e serve unicamente para ver se as pontas não perdem as laminas que a meu ver é isso que mata e nada que se contorça e seda ao bem prazer da carne.
        Um abraço e é sempre bom discutir opiniões com o Vilela dá luta hehe.

  3. AC diz:

    Espectáculo!!! Sim senhor! Um tiro fulminante e já nem deu trabalho a procurar.
    E que lindos ficaram os dois animais na foto!!! :)
    Quando eu fôr grande quero ser assim! Parabéns Tiago!
    Por enquanto continuo um aprendiz! As peripécias desta última lua no Açor são para rir e para chorar. Tive um navalheiro a tiro no lugar do pombo torcaz. Esperei demais, snifou-me e foi-se com um ronco medonho. Noutra noite, depois de lutar com um ninho de vespas crabro e ser dolorosamente ferrado, lá aterrei no palanque e às 10 da noite consegui a proeza de falhar o mesmo jovem javali duas vezes! O bicho roía milho virado de frente para mim. Finalmente, disparei mas uma das palhetas da besta bateu na lona… Porque o milho provoca surdez isso impediu o javali de ouvir o disparo. E o virote a enfiar-se no mato, para ele, podia ser uma pinha a cair! :) Depois, enquanto eu inspeccionava os danos, percebi que o javali continuava a roer milho. Armei novamente, coloquei a besta fora do andaime, em desequilíbrio, e tentei a minha sorte a 25/27 metros. Sai o virote mas segue-se apenas um grande sossego! Ouço o afastamento pelo mato mas o bicho não me pareceu “acusar o tiro”. Esperei até às tantas e no fim da espera, numa inspecção rápida do terreno apenas encontrei o 1º virote…
    Foi uma noite de lua cheia muito difícil: as sombras dos pinheiros altos ora vivas ora difusas, com as grandes vespas a zumbir até à meia-noite, um perfume a Raid e (felizmente apenas) um dedo a latejar do veneno. Acabei a noite a beber ice tea e a contar as peripécias ao gestor que no início da espera me levou o Raid ao palanque e também foi presenteado com uma bela ferroada.
    É com estes “encontros” que se vai aprendendo. Está visto que nos “setups” de espera não se podem deixar coisas ao acaso. Havendo possibilidade, tudo deve ser testado exaustivamente para garantir o sucesso. Um galho, uma vespa, uma folha seca, etc podem estragar a caçada.

    Vamos lá ver prá próxima lua!

    • Tiago Lemos diz:

      Bolas, tambem andas enguiçado!
      Para a próxima vai correr melhor, e toma atenção para não te habituares a falhar, senão ganhas vicio.
      Abraço.

      • AC diz:

        Isso do enguiço é relativo! Ultimamente até tenho tido sorte!!! Depois de 18 esperas sem javalis tive 4 esperas de enfiada com javalis a menos de 30 metros e um deles era um bruto navalheiro. Agora que eu começo a acreditar que os javalis existem, só tenho de aprender a atirar no escuro. Acho alguma piada a estas peripécias, nem me queixo muito, mas já chega de aselhices e falhanços: quero levar boa carne para casa.
        Os treinos nocturnos para besteiros vão começar!
        Tenham medo! Tenham muito medo!

    • JF diz:

      Bem-vindo! Não é grande consolação, mas pelo que já leste aqui não estás só.
      A continuar assim os bichos ainda criam duas associações: Porcos com bandarilha e Vivam os zarépios.
      Mas quando a maré de azar virar, e vai virar com certeza, vais ver que temos de trocar a arca frigorífica.
      Estou marcado para 20 de Agosto em Vale de Reis para ver se desenguiço.

      Grande abraço e que venha a próxima lua.

      • AC diz:

        Esses javalis atingidos, pisteados e não cobrados deixam-me doente! Por vezes penso “Ainda bem que não atirei ao navalheiro”. Esperei para ter a certeza e foi-se … melhor assim!
        O tiro tem de ser cirúrgico pois de outro modo um bicho daqueles vai morrer a casa do diabo mais velho.

        Já tenho ideias para praticar … he he

        AC

  4. Filipe Pinto-Coelho diz:

    Granda Tiago
    Granda Porco
    Merecido troféu
    Um abraço

  5. Filipe Augusto diz:

    Parabens ao Tiago.
    Belo bicho… tambem quero um assim… eh! eh! eh!

  6. Paulo Vilela diz:

    Foi o tiro que os americanos chamam fool proof shot faz muito estrago rebenta com pulmoes figado enfim toda a “caldeira”.
    Tiago para ir a cabeça deve ter desviado nalgum osso pois nas fotos parece que varou.

    • Tiago Lemos diz:

      Sim ,realmente na 2ª foto parece que o virotão varou, mas não.
      O sangue que se vê foi de tanto andar com o animal ás voltas (transporte e fotos)

    • Archeroliveira diz:

      Tenho de responder ao teu comentário Paulo, mas nada como os nossos testes e deixar de ligar a Americanices e caçadores de Internet pois o marketing lá funciona muito e muitas vezes os testes são “pagos ” para assim agradarem.
      Eu gosto de acreditar no terreno e nas passagem vividas por mim e colegas.

      • Paulo Vilela diz:

        Antonio quais americanices ??????????????os que fazem os arcos??as flechas???as rampas????as pontas????as penas???os fatos????os liquidos anti cheiro?????enfim tudo.
        Alguem caça que nao tenha alguma coisa (ou com tudo) americano???

        E mentira que quanto mais distancia um projetil percorrer dentro de um corpo mais estrago lhe faz?
        e mentira que se enfiares uma flechada que em vez de ser na perpendicular for com um angulo de 45º lhe vais rebentar com muito mais orgaos’

        Factos sao factos seja aqui seja na cochinchina.

        AC quer seja na caça com arco seja na de arma de fogo nunca ninguem me viu atirar sem ter a certeza que tinha as possibilidades todas a meu favor.
        So nao falha quem nao atira.

      • AC diz:

        Paulo (grande talibã!),

        quando eu escrevi «havendo possibilidade, tudo deve ser testado exaustivamente» estava especificamente a referir-me às condições de tiro no palanque. Já sabemos que aqueles andaimes envoltos em lona (que oferecem um inegável conforto e minimizam o arrastamento do nosso odor) também têm desvantagens! Exemplo: a captação de som! Para atirar com bestas recurvas, especialmente naqueles palanques onde a barra central vertical ainda não foi cortada, ficamos praticamente limitados a atirar em frente. Á mínima rotação, a palheta vai á lona ou pior, ao andaime, e aí é prejuízo pela certa. Havendo essa possibilidade (que exige tempo, disponibilidade e algum material), eu deveria ter atirado da barraca-andaime para um alvo colocado no cevadouro em situação de TESTE! Isso implicaria ir mais cedo para o local, levar um saco-bastidor, medir as distâncias, dar uns tiros, … levar uma rebarbadora, um frigorífico, um gerador, uma moto-serra, um boneco insuflável para colocar no andaime e enganar o porco e um treestand para me posicionar ao lado … etc etc e estou seguro de que quando lá estivesse com esta tralha toda, ainda me iria fazer falta mais qq coisa!

        Olha as coisas que escreves:
        “…sem ter a certeza que tinha as possibilidades todas a meu favor.”!?
        Epa, tens certezas e sorte! Eu na minha vidinha, incluindo na caça, duvido que alguma vez tenha tido ou venha a ter todas as possibilidade a meu favor… e quanto a certezas… a morte é uma das poucas! Passo, isso sim, algum tempo a pensar como evitar, minimizar ou acautelar as inúmeras CONTRARIEDADES que podem surgir. E está sempre mais uma, inesperada, à espreita! Veja-se o exemplo da última espera: um ninho de vespas crabro mesmo debaixo das escadas de acesso ao andaime-palanque. Ferroada da grossa! Um zumbidoiro pela noite dentro. Podia ter desistido logo, achando que tinha as possibilidades contra mim! Mesmo assim apareceu um javali (poucou sábio é certo) que, para contrariar, não oferecia o flanco. Quando o fez, avançou para a esquerda e a palheta bateu na lona, etc etc
        Aqueles, palanques estão pensados inicialmente para tiro de carabina e mesmo assim podem ser melhorados. Estamos permanentemente em processo de adaptação tal como os javalis que não são parvos e não vão ali pousar para a matança…

        Vamos indo, com calma!

      • Archeroliveira diz:

        Eu só não consigo perceber uma coisa, já vão três furados e não cobrados, com pontas x-p-t-o e cheios de leituras e testes feitos, mas o teste que eu gostava que fosse feito não o é, eu compro-te uma dessas pontas e faço o teste por ti.
        Eu como referi posso ir tirar umas ideias aos livros e a net, mas nunca fico por ai, gosto de confirmar com os meus próprios testes, verdade absoluta é aquela que eu constato com os meus olhos e as minhas experiências e experiência validas de caçadores próximos.
        Agora só me dá pena é verem as coisas a acontecerem e continuarem a bater com a cabeça na parede. Como diz um ditado Francês O SER HUMANO É O UNICO ANIMAL QUE TROPEÇA DUAS VEZES NA MESMA PEDRA.
        Acreditas piamente em “americanices” pois caso não o fosse nunca irias para uma espera aos porcos com essas pontas, depois do que eu te disse sobre essas pontas em Santarém, se o tiro foi na zona da chávena de café “certeiro” o porco teria de ficar e os factos estão a vista.
        Eu não preciso de um tiro a 45º, só preciso de um tiro de flanco ou ligeiramente de traz para a frente o animas com a cabeça ligeiramente mais longe que a traseira.
        Um grande caçados que me dá muitos conselhos e aumenta a minha experiência de caça, costuma dizer o melhor tiro não é aquele que o animal fica no sitio mas sim o que deixa o animal correr os seu 50 a 100m.
        Mas cada um com as suas técnicas embora umas andem a ferir a a matar animais que ficam pelo monte que isso é que eu não suporto

      • Tiago Lemos diz:

        Archer,
        Essa história que o melhor tiro não é aquele em que os porcos ficam no sitio, mas sim correrem 50 ou 100 metros, parece-me um bocado rebuscada, digo isto porque não era a primeira vez que um animal ferido de morte, consegue percorrer tais distâncias ou mais, acabando por morrer em locais onde é praticamente impossivel pistar e muito menos alcança-los ( grandes matagais, silvados ou terrenos demasiado ingremes).

      • 1gcabp diz:

        Boa noite António

        O porco que me levou parte de uma flecha e uma rage espetada no coiro, já foi visto depois disso, mas como a Misericórdia de Coruche ainda não tem cadeiras de rodas, o bicho está a andar a “três cilindros”. O tiro foi atrasado – é o que dá atirar sem luz – e deve estar no osso. Só se for cobrado é que se conseguirá saber de certeza o que aconteceu, em que estado está a ponta, e onde acertou. De qualquer modo acho que um mau tiro não deve condenar o equipamento, quanto muito condena o atirador. É certo que a pele de um veado não se pode comparar à blindagem de um javali, mas estes não existem só na Europa, os americanos também os têm. O próximo que cobrar(!?!) será com uma rage e então tirar-se-ão as dúvidas.
        Até lá penso que especular sobre se mata não mata, fura não fura, desvia não desvia é um bocado chover no molhado.
        O que verdadeiramente faz falta, e falo por mim, são umas sessões valentes de treino nocturno. Só assim se minimizam asneiras como a que fiz.

        Bons tiros.

      • Archeroliveira diz:

        Tiago um tiro de caixa na direcção da pata e a quatro dedos da parte inferior com uma boas pontas “que cada um sabe quais são ” e te garanto que o animas não corre mais de 50-60m.
        Um tiro que pare o animal no local normalmente “há exceções” é um tiro de coluna e sendo de coluna não é o tiro indicado para arco ou besta.
        Eu já nem sei por que motivo me preocupo em dar conselhos.
        Uma coisa posso garantir se seguissem alguns, no momento da verdade aumentavam aquilo a que alguns chamam sorte e reduziam aquilo a que alguns chamam enguiço.

      • Archeroliveira diz:

        Mas eu não estou a falar das Rage mas sim das Aton, que as Rage eu já tenho a confirmação que servem para javalis, que um colega matou um e disse que fez um lindo rombo.

  7. Paulo Vilela diz:

    Parabens Tiago,um animal estupendo.

  8. Archeroliveira diz:

    Boa Tiago este já tenho que te tirar o chapéu e parece que surtiu algum efeito os meus anteriores comentários e soubeste esperar pelo tal animal.
    Uma vez mais parabéns o animal ficou embora um tiro um pouco atrasado.

    • Tiago Lemos diz:

      Boas Archer,
      Bom era que fosse sempre assim, mas nem sempre o é.
      Tenho de discordar quando dizes que o tiro foi um pouco atrasado, pois a localização do tiro não podia ser melhor, o porco ficou no sitio, foi uma morte limpa e rápida como manda a cartilha.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s